domingo, 28 de outubro de 2012

praia




foi bom esta tarde passada na praia.

por momentos esqueci estes dias e tudo o que é revoltante: as traições, as injustiças e as iniquidades.

estava ali o sol, a areia e mais lá ao fundo o mar que cumpria uma recta no horizonte. mais perto a rebentação.

havia um casal passeando, um cão levado pela trela, uma criança a brincar na areia.

nós conversámos sobre quase tudo. os nossos dias e algumas noites, a política, a amizade, os livros, a música. não falámos de amor.

tirei o pullover e fiz questão de deixar os raios de um sol outonal aquecer a minha pele. espreguicei-me várias vezes. estava quase em paz, por momentos em paz.

a certa altura o som das vozes era um gostoso ruído de fundo que me fazia sentir acompanhado.

no meu egoísmo, não disse que era bom estar ali na companhia dos amigos. saberiam eles que tantas vezes penso quantos momentos assim ainda me serão dados viver?

e não falámos de amor

porque o amor tem o seu quê de impermanência e eu não queria que aquele momento terminasse.

deixemos o amor de lado. não precisamos estar sempre a falar de amor. não faz bem consumir análise sobre análise com o objectivo de concluir que passamos grande parte da vida atrás de um sentimento que nos está sempre a fugir.

alguém decidiu dar um mergulho no mar. foi revigorante imaginar a água fria a escorrer na pele. só a imagem é de uma beleza perfeita.

acendi outro cigarro e fumei com todo o tempo do mundo.
os gestos das suas mãos davam sentido às palavras.

não ouve um fim. a praia ainda lá está e nós ainda ocupamos as mesmas cadeiras. o sol ainda brilha e o mar, sempre o mar, ainda convida. alguém dá um mergulho e as vozes ainda se ouvem.

fala-se de tudo e de nada, mas não se fala de amor.



sábado, 20 de outubro de 2012

Jaroussky - Ho perso il caro ben (Handel)



Dopo d'aver perduto il caro bene
saria grande il conforto,
se si perdesse ancora
la memoria funesta;
ma oh dei! questa pur resta,
e chi fu nell'amor sì fortunato
non può a gli Elisi ancor'esser' beato.

Ho perso il caro ben',
son l'ombre il mio seren,
pietà del mio dolor.
S'unisca al mio martir,
il vostro bel soffrir,
soccorso a questo cor,
soccorso al mio dolor.

*******
After having lost my dear beloved,
I would find great solace,
If I only could lose
The fatal memory of her!
That memory, oh gods, 
Stays with me, tormenting me.
And so, even if my beloved were happy,
Not even in Heaven could I be happy.

I've lost my dear beloved,
And my sky is dark.
Ah, pity my sorrow!
Oh that in martyrdom I may unite with her suffering!
Help for this heart,
Help for my sorrow!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

campo de flores

Fotografia de Sayanda Photography (Pedro Sayanda)


um dia vamos deitar-nos num campo de flores e olhar o céu.
daremos as mãos e seremos como duas metades de uma maçã.
e não será preciso que o olhar se encontre.
seremos um só
enquanto as flores libertam o seu perfume

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

(a) deus



disse-te adeus mas conservei uma letra
a deus o futuro, uma outra vida
a permanência dos sentimentos
que se vão dispersando no éter
e cujo eco se fará sentir no fim dos tempos

a deus encomendo a letra
que ficou comigo.
um dia irei encontrá-la de novo
em outro alguém que me dará vida...

fiquei com o (a)
(a)mor